CONEXÕES MENTAIS

Escolhi falar um pouco hoje sobre essa raridade que para mim é tão importante quanto o “amor”, e acho até que os dois também estão conectados. O amor é extraordinário tudo que precisamos, mas somente ele não basta, precisamos da honestidade, da confiança, cumplicidade e desta conexão mental para que as já ia relações, seja o amor ou a amizade possam dar certo como desejamos. Para entender e aprofundar o conhecimento sobre essas conexões , eu busquei em algumas fontes como a psicologia explica a conexão mental.

Psicologia da conexão: a arte de se conectar através do coração

De acordo com a psicologia da conexão, conhecer pessoas não é o mesmo que se “conectar” com elas. Na verdade, quando nos conectamos com alguém, sentimos os batimentos cardíacos compartilhados, uma sintonia profunda e estranha ao mesmo tempo. Quase sem sabermos como, dessas conexões surgem as melhores amizades da nossa vida ou os amores mais inesperados. Nós dissemos no início que conhecer não é o mesmo que se conectar com alguém. Isso é algo que todos nós experimentamos diariamente. No nosso ambiente cotidiano, como o nosso emprego, a escola, a universidade, as nossas comunidades de vizinhos ou espaços de lazer, conhecemos muitas pessoas. Convivemos com elas; no entanto, ao longo das nossas vidas, só conseguimos nos “conectar” profundamente com algumas pessoas.

Judith E. Glaser, psicóloga e antropóloga organizacional da Universidade de Harvard, é uma das principais referências no estudo e aplicação do que é conhecido como “Conexão Profunda”. Ela diz em muitos do seus livros e inúmeros trabalhos que temos uma voz interior que nos diz em um tempo muito curto se algo ou alguém pode ser importante ou significativo para nós. Na realidade, o que chamamos de “intuição” tem um lugar específico no nosso cérebro.

A conexão profunda: quando o nosso cérebro se “ilumina”

Nosso cérebro é uma entidade governada por uma série de necessidades básicas: a socialização é uma delas. Então, quando no nosso dia a dia conhecemos outras pessoas e nos conectamos com elas, o nosso cérebro recebe um impulso; podemos dizer que ele se “ilumina”. Esse impulso é sentido na área do córtex pré-frontal rostromedial. No entanto, há outra parte mais profunda, misteriosa e fascinante que se ilumina como uma árvore de Natal quando encontramos alguém com quem nos conectamos intensamente. Este lugar está localizado exatamente naquele espaço onde o lóbulo temporal e o lóbulo parietal se encontram.

Processos que originam a psicologia da conexão

  • A conexão profunda vai além dos olhares porque se inicia através da interação e do tratamento, mas ocorre principalmente através de uma palavra muito concreta, mágica e significativa para todos: “compartilhar”.
  • Quando compartilhamos certas intimidades com alguém, quando fazemos confidências, quando compartilhamos valores, paixões, preferências, o nosso cérebro libera “oxitocina”.

Os neuropsicólogos explicam que a oxitocina é um neurotransmissor que atua como um ingrediente essencial para estabelecermos conexões significativas com os nossos melhores amigos ou parceiros. Quando trazemos essas pessoas especiais para este espaço tão particular, profundo e carismático da nossa mente, nos sentimos seguros, confortáveis e confiantes … mas acima de tudo, nos sentimos muito felizes.

As decepções fazem parte deste processo de encontrar alguém, a maioria delas são quase que inevitáveis. Com bases em minhas experiências, acredito que posso afirmar que a dor é como uma escola para nós, ela tem muito a nos ensinar, às vezes muito mais até do que achamos que já aprendemos nesta vida. “A dor precisa ser sentida”, ter o coração partido pode ser um tanto quanto doloroso, mas tem o seu lado bom, que é ter uma melhor versão de si mesmo.

Nós não podemos prever nosso futuro, não sabemos quantas vezes mais essas decepções terão que acontecer, até que nosso amor tão esperado chegue. Mas sabe o que eu penso? Todos nós temos o poder de escolher, temos o controle das nossas próximas ações, e se realmente as pessoas se importassem tanto consigo mesmas, eu acho que elas saberiam priorizar essas conexões e passariam mais tempo sozinhas.. desconectando do superficial e se conectando com sua alma. A idéia de estar sozinho para muitos ainda é assustador, mas é preciso estar sozinho e aprender a se amar, para que depois você possa sentir então, essas raras conexões. Os relacionamentos hoje, acho que a maioria deles, são superficiais, são só atrações físicas, algum tipo de interesse, status e nada mais, não vemos mais amor e nem conexão mental de alma, e por isso tanta dor e sofrimento, corações vazios e incompletos.

O ser humano ele é muito dependente, e também é muito insatisfeito, é quase sempre que nos sentimos infelizes, incompletos, vazios e na busca de preencher este vazio, se confunde carência com amor e há aqueles que se aproveitam desta carência emocional de uns, para se satisfazer no prazer sexual. E o que acontece nós já sabemos? Ilusões, dor, sofrimento e tudo por carência. Eu infelizmente tive que ter o meu coração partido diversas vezes , até finalmente compreender que sozinha eu estava bem acompanhada, não precisava do amor de alguém mas do meu amor. E quando compreendi e aceitei isso, passei a enxergar o Amor de outras formas e em lugares que nunca tinha notado. O amor ele é a soma do que somos, temos e fazemos.. ele está na família, nas amizades, com você, nas coisas que você gosta de fazer seja ler um livro, escutar ou tocar uma música, no trabalho que você faz com gosto, no jardim que você cuida, no sorriso que você oferece e os que você recebe de volta, nos abraços, na gentileza, no café da manhã com as pessoas que você ama ou mesmo sozinho .. enfim o amor está o tempo todo a nossa volta e conectado, é só parar um segundo e olhar para sua volta.

Quando você compreende essas coisas, entende então que o seu próximo amor ou mesmo uma amizade precisa ter essa mesma conexão, você vai sentir ela no seu coração, suas mentes estarão conectadas e você notar. Enquanto este amor não chegar, fique e se conecte consigo mesmo, preencha este vazio com amor próprio, se complete. Há muito o que descobrir sobre si mesmo e sobre a vida.. então se apaixone por esta vida! carpe Diem ! Viva o hoje ! Mas faça isso com coração cheio de amor e de alegria, não queira partir ele outra vez ou partir o coração de um outro alguém. Toda vida é importante, não só a sua, não só o seu coração, faça isso e como consequência colherá bons frutos.

Nossa mente é incrível nós só não sabemos disso…

Eu de fato fiquei mesmo um bom tempo sem escrever, meu último post foi “você tem que se perder para então se encontrar”, estou aqui em constante evolução e sobrevivendo nos dias difíceis e talvez você também esteja. Há dias que, são mais sombrios e mais chuvosos, dias em que a dor está inquieta e barulhenta, mas também há dias de sol e de muita alegria, nesses dias o amor se faz presente pela manhã e fica até o dia acabar , a dor fica silenciosa e quase imperceptível. E são os dias de sol que nos deixam com a esperança de que teremos dias melhores e até uma vida melhor. Decidi não fazer planos e apenas vencer um dia de cada vez…

É fim de tarde e eu estou aqui escrevendo essas palavras com muito amor, ouvindo uma bela canção de Tonny Bennett e tomando um café fresco com a mesma conexão deliciosa de sempre que a escrita me traz. Sim, já não sou mais a mesma de um mês atrás e nem a mesma de ontem, estou em constante transformação, eu sou metamorfose ambulante ! Então meus amores com coração cheio de amor e alegria, digo a vocês com orgulho que o dia de hoje, eu venci… Até a próxima e lembre-se DESCONECTAR PARA CONECTAR !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s