“Nada em comum”

Eu e ela, não tinhamos nada parecido
Eu gostava de rock
Ela de funk
Eu gostava de mato 
Ela da cidade
Eu gostava de cachoeira
Ela do sol da praia
E hoje estamos aqui…
Ela aprendeu a tocar guitarra
Eu a fazer rima

Eu comprei um apartamento
Ela decorou com flores
Eu comprei uma sunga
Ela ama água doce

Não é sobre ser iguais 
É sobre querer amar e cuidar
Aprender com as diferenças que amor, amor vai além de ser parecidos

Autor: página @_alguemler

Publicidade

O último café

Itália 03/08/1977
O último café
Mal sabiam eles que aquele seriam seu último café juntos
Naquela cafeteria de esquina
Aquela onde eles sempre se encontravam entre um almoço e outro
Sem saber que logo dariam seu ultimo olhar naquela tarde conversaram sobre tudo
Até planos que jamais teriam ditos ou feito
Conversaram por coincidência
Sobre como seria a vida em outro mundo
Sem saber que logo um deles passaria para o outro lado
Como de costume ao se despedir deram um beijo e um abraço
Mas um abraço diferente longo um beijo mais doce puro
Ele escondeu na roupa da sua amada uma foto dos dois, a primeira foto que haviam tirado
Seguindo para sua casa em um cruzamento
Outro veículo de forma irresponsável colidiu com o dele o matando na mesma hora
E bem naquela momento, ela então encontrou a foto em seu bolso
No carro dele tocava a música que os dois mais gostavam
No momento em que seus olhos fecharam.. o sorriso da sua amada aparecia olhando para foto, sem saber o que havia acontecido naquele mesmo instante
No momento em que seus olhos fecharam ele pode ver ela pela última vez deitada em seu peito naquela plantação de uvas em meio ao sol da tarde
Como se por algum motivo o livro tivesse mudado de capítulo sem que eles pedissem

E então aquele dia foi o seu último café

Poema escrito por um amigo muito querido, quem quiser acompanhá-lo siga sua página no Instagram @_alguemler 🙂